Dec 01

CNBB fala sobre rompimento de barragem e alerta para código de mineração

Coletiva26nov interna MarianaPresentes na reunião do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), os bispos que compõem a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e os presidentes das Comissões Episcopais de Pastoral da entidade aprovaram uma nota sobre o rompimento da Barragem de Fundão, ocorrido no dia 5 de novembro, no subdistrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG).

No texto, os bispos dizem que “a atividade mineradora no Brasil carece de um marco regulatório que tire do centro o lucro exorbitante das mineradoras ao preço do sacrifício humano e da depredação do meio ambiente com a consequente destruição da biodiversidade”.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 560
Nov 25

Bispo de Nazaré da Mata renuncia ao cargo por motivos de saúde

dom severinoO então bispo de Nazaré da Mata, Mata Norte do estado, Dom Frei Severino Batista de França renunciou ao cargo. O pedido foi aceito e divulgado nesta quarta-feira (25) pelo Vaticano. O sacerdote alega motivos de saúde. Aos 70 anos, diz sofrer de dores na coluna e problemas estomacais, o que dificultaria cumprir a agenda de viagens e os compromissos administrativos do cargo.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 1268
Nov 11

TV e Celular comprometem o convívio familiar: Afirma o Papa Francisco

11.11 audienciaCidade do Vaticano – O convívio familiar foi o tema da Audiência Geral do Papa Francisco nesta quarta-feira 11 de novembro. Cerca de 20 mil fiéis e peregrinos compareceram na Praça S. Pedro, entre eles os participantes do III encontro dos missionários brasileiros na Europa.

O convívio, a partilha dos bens da vida, explicou Francisco, é uma característica das relações familiares. A família reunida ao redor da mesa é um símbolo, um ícone, desta experiência fundamental. "Uma família que quase nunca faz junta as refeições, ou que à mesa não fala, mas assiste à televisão, ou olha o celular, é uma família 'pouco família'. "Significa que há algum problema." “É o silêncio do egoísmo”, disse.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 2014
Nov 23

Abertas novas turmas do curso “A Comunicação na Ação Evangelizadora” da CNBB

pe xavierO curso “A Comunicação na Ação Evangelizadora – Aprofundamento do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil” está sendo um sucesso! Devido à procura do curso por novos alunos, após o início da primeira turma, agora estão abertas as inscrições para a segunda turma do curso no www.rs21.com.br/pascom. O curso é fruto de uma parceria entre a Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB e a Educação a Distância Século 21.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 367
Nov 11

Dioceses da província Eclesiástica de Pernambuco refletem compromisso missionário

000 a a a egidio2Muita animação e ardor missionário invadiram o coração dos participantes do Seminário Missionário da Província Eclesiástica de Pernambuco, que aconteceu entre os dias 5 e 7 de novembro no seminário São José, em Garanhuns (PE).

Com o tema "o compromisso missionário a partir da Evangelii Gaudium" o evento reuniu representantes de oito dioceses da província, e foi assessorado pelo bispo da diocese de Afogados da Ingazeira, dom Egídio Bisol. Em suas reflexões o bispo lembrou que, “fechar-se em si mesmo é fechar-se ao outro e que o importante é entender o essencial do evangelho, pois as estruturas mudam”.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 1303
Nov 18

Do Pacto das Catatumbas a Francisco

18.11 catacumbasPara celebrar os 50 anos do Pacto das Catacumbas, a Verbo Filmes produziu um breve documentário contando, a partir de depoimentos de bispos brasileiros que participaram do Concílio Vaticano II, como foi que aconteceu o Pacto.

Ainda, o Pe. Beozzo, historiador, faz um link do Pacto com o papado de Francisco.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 638
Nov 11

Pobres de Roma fazem memória do Pacto das Catacumbas: “uma Igreja pobre e para os pobres"

000 a catacumbas 4463Como parte das comemorações do 50º aniversário do Pacto das Catacumbas, neste domingo, 20, um grupo de sem-teto da Caritas de Roma, fará uma visita às catacumbas de Santa Domitilla para recordar o compromisso feito pelos bispos, em 1965.

No dia 16 de novembro de 1965, poucos dias antes do encerramento do Concílio Vaticano II, cerca de 40 padres conciliares celebraram uma Eucaristia nas catacumbas de Santa Domitilla, em Roma, pedindo fidelidade ao Espírito de Jesus. Após essa celebração, firmaram o "Pacto das Catacumbas".

000 a catacumbas 22O documento é um desafio aos "irmãos no Episcopado" a levarem uma "vida de pobreza", uma Igreja "servidora e pobre", como sugeriu o papa João XXIII. Os signatários - dentre eles, muitos brasileiros e latino-americanos, sendo que mais tarde outros também se uniram ao pacto – se comprometiam a viver na pobreza, a rejeitar todos os símbolos ou os privilégios do poder e a colocar os pobres no centro do seu ministério pastoral.

Ao longo de 2015, a União dos Superiores e das Superioras Gerais, através de seu serviço de Justiça Paz e Integridade da Criação (JPIC), Serviço de Estudos da Missão (SEDOS) e a Congregação dos Missionários do Verbo Divino, encarregada pela Santa Sé, do cuidado da Catacumba, têm organizado eventos para recordar o compromisso dos bispos.

000 a catacumbaasUm dos membros da comissão organizadora das celebrações, o conselheiro geral dos verbitas, padre Arlindo Pereira Dias explica. "Este gesto tem pelo menos três significados: oferecer aos mais pobres de Roma a possibilidade de uma visita às Catacumbas para se sentirem parte da missão comum da Igreja; agradecer a Deus pelos esforços de centenas bispos, religiosos, religiosas e leigas e leigos que, em todo o mundo, ao longo dos últimos 50 anos, testemunharam e trabalharam por ‘uma Igreja pobre e serva dos pobres’ de acordo com o espirito proposto pelo Concilio Vaticano II; reforçar o apelo do papa Francisco aos cristão de 'colocar a nossa vida, estruturas e tempo a serviço dos pobres de hoje, especialmente neste momento na Europa, em relação refugiados e imigrantes".

As catacumbas são cemitérios gigantescos, subterrâneos, onde gerações de cristãos enterraram seus mortos. As mais importantes estão em Roma, mas as encontramos também em Nápoles, Siracusa, na África, Egito e Ásia Menor. Santa Domitila é uma delas. Os cristãos preferiam sepultar os seus mortos ao invés de incinerá-los como faziam os romanos, pois a tradição bíblica nunca falou em cremação, embora esta seja hoje permitida pela Igreja, desde que não seja para desafiar a fé na ressurreição (cf. CIC §2301).

O grupo dos pobres será acompanhado pelo diretor da Caritas de Roma, dom Enrico Feroci que vai presidir a Eucaristia e várias religiosas e religiosos. Depois da missa haverá uma visita guiada das catacumbas e um almoço na Casa Geral dos Missionários do Verbo Divino, seguido de confraternização e lazer. Dom Enrico Feroci falou sobre a importância do Pacto das Catacumbas e do Ano da Misericórdia proposto pelo papa Francisco.

Entrevista com dom Enrico Feroci, diretor da Caritas de Roma

Qual o significado de celebrar o compromisso de "uma Igreja pobre e para os pobres" nas Catacumbas de Santa Domitilla?

000 a catacumbasferoci51Há cinquenta anos foi assinado o documento chamado Pacto das Catacumbas, no qual se sublinhava a importâncias e a centralidade do tema dos pobres em nossa reflexão e na Igreja. Pensando nesta realidade me vem em mente o gesto que fez São Francisco ao encontrar o leproso, quando o abraçou e o beijou. Não foi um fato exterior, tampouco para mortificar-se ou por que sentisse medo. Ele o fez porque percebia a importância do excluído. Era como se o leproso fosse parte dele mesmo. Portanto, o leproso, o excluído, não era apenas um fato em si mesmo, motivo pelo qual devia estar atento. Ele era carne da sua carne, era a sua realidade. O Pacto das Catacumbas quer nos mostrar que os pobres não são apenas uma realidade sociológica sobre a qual nós temos que estender uma mão. Eles fazem parte de nosso corpo, se eles nos faltam, o nosso corpo se torna enfermo. Por isso, me parece que o Pacto das Catacumbas nos conduz à reflexão sobre o que nos somos e sobre o que é a presença de Deus em nós, na Igreja e no mundo. Trazer os pobres em nosso coração, dedicar-nos a eles é como se nos dedicássemos a Cristo, que está presente neles e também em nós mesmos. Sem eles nos tornamos também nós carentes e pobres.

Preparando o Ano da Misericórdia, que coisas concretas podem fazer os religiosos e as comunidades cristãs para vivê-lo segundo o coração de Deus?

08.37.11.11.2015Quando o papa Francisco anunciou o Ano da Misericórdia lembrei-me algumas palavras que são próprias de nossa historia, de nossa tradição bíblica e litúrgica. Existe uma figura muito bonita que é aquela do Goel, isto é, aquele que se oferece para substituir a pessoa da família que contraiu uma grande dívida. Veio-me em mente não apenas a figura de Jesus, que se deu a si mesmo para que fôssemos salvos, mas também a belíssima realidade expressa por São Paulo quando diz que o “meu viver é Cristo!” Ele, pelos irmãos que sentia distante, estava disposto a doar a si mesmo, a sacrificar a si mesmo. Recordo também que surgiram tantos institutos religiosos, como aqueles que se comprometiam a substituir com um dos seus religiosos os presos que foram escravizados. Creio que cada um de nós, diante desta realidade deve se comprometer. Tendo nas mãos o jornal, vendo as situações difíceis, não podemos ficar indiferentes como se fosse algo que não nos toca. Deve nascer dentro de nós uma paixão, um grande sofrimento, uma vez que nossos irmãos estão sofrendo. Este sofrimento nos pertence, a sua dor nos pertence, por isso nosso dever é compreender, dar-se conta, conhecer, não deixar as coisas como estão. E nos empenharmos para que tantos fatos dramáticos não ocorram mais. Mais do que isto, estender nossas mãos para que estes nossos irmãos tenham o suficiente para viver dignamente.

Com informações de Arlindo P. Dias, em Roma.

Data de Publicação Acessos: 1690
Nov 16

Papa Francisco expressa solidariedade aos franceses

papa franaDurante a oração do Angelus, neste domingo, 15 de novembro, o papa Francisco manifestou solidariedade ao presidente da França, François Hollande, e a todos os cidadãos, em particular às famílias dos que perderam a vida e aos feridos, durante os ataques ocorridos em Paris, na última sexta-feira.

Francisco reafirmou que “o caminho da violência e do ódio não resolve os problemas da humanidade”. Disse, ainda, que “usar o nome de Deus para justificar esse caminho é uma blasfêmia”.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 1178
Nov 10

Papa: As Reformas vão continuar com a ajuda de toda a Igreja

09.11 vaticanoPraça São Pedro durante o AngelusCidade do Vaticano - As reformas no Vaticano vão continuar. Foi o que disse o Papa Francisco falando aos fiéis reunidos na Praça São Pedro para a Oração mariana do Angelus, fazendo referência às notícias dos dias passados que turbaram muitos dos fiéis a propósito de documentos reservados da Santa Sé que foram subtraídos e publicados.

“Por isso, gostaria de lhes dizer, antes de tudo, que roubar esses documentos é um crime. É um ato deplorável que não ajuda. Eu mesmo tinha pedido para fazer esse estudo, e esses documentos eu e os meus colaboradores já os conhecíamos bem, e foram tomadas as medidas que começaram a dar frutos, até mesmo alguns visíveis”.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 439
Nov 13

Separados por 10 mil quilômetros, unidos por uma JMJ

DSC 0048 300x225

Meu nome é Patrícia Paiva, cresci numa favela do Rio de Janeiro e desde sempre minha mãe se preocupou com a minha educação e do meu irmão, visto que muitos jovens se envolviam com o tráfico de drogas e seus destinos estavam fadados à prisão ou à morte prematura.

Havia uma capela perto da minha casa e foi lá que começou a minha caminhada de fé. Fiz primeira comunhão, recebi a crisma, participei de grupos jovens e, mais tarde, quando já morava em outro bairro, comecei a frequentar os encontros da Renovação Carismática Católica e participar das atividades na paróquia local.

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 1175
Nov 10

Papa na Missa em Florença: Reconhecer no Pobre o Rosto de Jesus

10.11 missaPapa Francisco celebra Missa no Estádio Municipal "Artemio Franchi" de Florença, com a participação de 55 mil fiéis

Florença - “Deus e o homem não são dois extremos de uma oposição: desde sempre, estes procuram um ao outro, porque Deus reconhece no homem a própria imagem e o homem se reconhece somente olhando para Deus.”

Leia mais...

Data de Publicação Acessos: 396
telefone

Lista Telefonica

Ache na Nossa Lista Online
telefones e endereços de paróquias, Padres, instituições, Comunidades e muito mais.

CLIQUE AQUI ACESSAR>>
0853070116

Acenda sua

Velinha Digital

Acender uma vela digital é uma forma de manter a sua fé acesa.

ACENDER VELINHA >>

Artigos

Dom Dino

Leia todos os artigos publicados!

LEIA AGORA >>