Paróquia São Paulo Apóstolo (2009)

Endereço: Av. Dr. Luiz Gonzaga Rêgo, 195
Bairro: São João da Escócia
Cidade: Caruaru - PE
Cep: 55.018-753
Telefone: (81) 3722-0058

Administrador Paroquial: Pe. Edmilson Martiliano de Lima

Comunidades Urbanas
- Matriz - Santuário Maria Mãe da Misericórdia
- São Francisco (Lagoa do Algodão)
- Bom Pastor (São João da Escócia)
- Nossa Senhora de Lourdes (Condomínio Porto do Sol)
- Santa Edwiges (Loteamento Luiz Gonzaga)

Comunidades Rurais
- Nossa Senhora das Dores (Queimada do Uruçu)
- São José (Palmatória)
- Nossa Senhora de Fátima (Gruta Funda)
- São Severino (Juá) - Santo Antônio (Guaritas)
- São Sebastião (Lagoa Roçada)
- Nossa Senhora de Guadalupe (Barrinhos)

Notícias Católicas

22-06-2017 Mundo Católico A motivação principal para a mudança de ocasião, segundo dom Darci, quer responder ao apelo dos bispos de se evitar a sobrecarga da pauta na assembleia e voltar a premiação para os eventos de comunicação de modo a valorizar a importância do evento. Um membro do Conselho lembrou que já houve uma itinerância da entrega dos Prêmios em vários eventos promovidos pela CNBB. Ressaltou-se, também, a importância de que os Prêmios conservem o princípio de serem um canal de diálogo da CNBB com a sociedade. A este propósito, a Comissão informa que a última cerimônia de entrega teve a participação ampla de pessoas e trabalhos que não são da vida interna da Igreja: 5 representantes importantes do mundo do cinema estiveram na Cúria da Arquidiocese do Rio de Janeiro; o prêmio de imprensa foi dado a uma reportagem marcante sobre conflitos de terra produzida por um grande jornal do País; o prêmio de internet contemplou leigos (não religiosos) que trabalham com moradores de rua de São Paulo; e um site jornalístico não religioso de Brasília que aposta em uma perspectiva diferenciada da notícia, a boa notícia. Os membros do Conselho Permanente aprovaram, em caráter de experiência, as propostas apresentadas pela Comissão de Comunicação sobre os prêmios. Para a edição de 2018, dom Darci anunciou que será feita também uma nova modalidade no sentido de favorecer a divulgação e a mobilização de toda a Igreja no Brasil. Será feita uma votação, pela internet, para a escolha de uma Menção Honrosa para cada prêmio – que é, pelo Estatuto dos Prêmios, uma atribuição da Comissão – com participação de mais pessoas. “Será uma bela experiência de maior participação por parte das bases das comunidades que vão ajudar os bispos na escolha dos melhores trabalhos de comunicação produzidos em todo o Brasil”, concluiu o presidente da Comissão de Comunicação.

Conselho Permanente da CNBB aprova mudança de lugar para entrega dos Prêmios de Comunicação

  Dom Darci José Nicioli, arcebispo de Diamantina (MG), presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunic...

20-06-2017 Mundo Católico   “A fé totalizante e sua doação completa ao Senhor e no mistério sacerdotal encontra a maneira plena e realizada para o jovem convertido”. O Papa advertiu aos sacerdotes presentes de que “sem sede de Absoluto podem ser bons funcionários do sagrado, mas não podem ser sacerdotes capazes de servir a Cristo nos irmãos”. Deste modo, convidou-os a ser “homens de fé, uma fé franca, não aguada; e homens de caridade, caridade pastoral para com todos aqueles que o Senhor nos confia como irmãos e filhos”. “Amemos a Igreja, queridos irmãos, e façamo-la amar, mostrando-a como mãe diligente de todos, especialmente dos mais pobres e frágeis, tanto na vida social como na pessoa e religiosa”. Mas o Papa também explicou o motivo da sua visita: “Vim aqui para homenagear a memória de um sacerdote que testemunhou que no dom de si a Cristo se encontram os irmãos em suas necessidades, para que seja defendida e promovida sua dignidade de pessoas, com a mesma doação de si que Jesus nos mostrou, até a cruz”. Ao mencionar o trabalho educativo, o Santo Padre manifestou que a palavra “abrirá o caminho à plena cidadania na sociedade, mediante o trabalho, e à plena pertença à Igreja. Igreja, com uma fé consciente”. “Isto se aplica aos nossos tempos, no qual só possuir a palavra pode permitir discernir entre tantos e muitas vezes confusas mensagens que recebemos, e dar expressão às instâncias profundas do próprio coração, como as expectativas de justiça de tantos irmãos e irmãs”. Dirigindo-se aos jovens, afirmou que “vivem – como tantos outros no mundo – na marginalidade”, mas “existem pessoas que estão perto deles para não deixá-los sozinhos e mostrar-lhes o caminho para um possível resgate, um futuro que se abre a horizontes mais positivos”. Aos educadores disse que a sua “missão é cheia de obstáculos, mas também de alegria”. “A sua missão é de amor, porque não se pode ensinar sem amar e sem a consciência de que aquilo que se doa é simplesmente um direito, o de aprender”. Francisco fez um apelo à “liberdade de consciência”, que seja capaz de “enfrentar com a realidade e orientar-se guiada pelo amor”. “Viver a liberdade de consciência autenticamente, como busca do verdadeiro, do belo e do bem, dispostos a pagar o seu preço”.

Amemos a Igreja mostrando-a como mãe a todos

A pequena visita do Papa Francisco a Barbiana (Florença) culminou na igreja da cidade, com a saudação a diversas pesso...

19-06-2017 Mundo Católico Segundo a ONU, a desertificação é definida como um processo de degradação ambiental causada pelo manejo inadequado dos recursos naturais nos espaços áridos, semiáridos e subúmidos secos, que compromete os sistemas produtivos das áreas susceptíveis, os serviços ambientais e a conservação da biodiversidade. A entidade afirma ainda que os efeitos da desertificação afetam diretamente cerca de 250 milhões de pessoas, enquanto cerca de 1000 milhões estão em áreas de risco espalhados por mais de cem países. Para sensibilizar e aumentar a conscientização sobre os esforços internacionais para combater estes fenômenos, o dia 17 de junho foi escolhido para celebrar o Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca. A celebração deste ano analisa a relação entre a degradação da terra e migração. “Entre outros, a degradação ambiental, a insegurança alimentar e a pobreza são causas da migração e as dificuldades para o desenvolvimento. Em apenas 15 anos, de 2000 a 2015, o número de migrantes em todo o mundo aumentou 173-244 milhões”, destaca o site da ONU que trata da comemoração. Em 2015, o papa Francisco publicou sua primeira encíclica “Laudato Si” que fala sobre o cuidado da casa comum e faz um alerta para os efeitos da degradação ambiental. No documento, Francisco se dirige aos fiéis católicos, retomando as palavras de São João Paulo II. “Os cristãos, em particular, advertem que a sua tarefa no seio da criação e os seus deveres em relação à natureza e ao Criador fazem parte da sua fé, mas se propõe especialmente entrar em diálogo com todos acerca da nossa casa comum”, destacou o pontífice. No Brasil, a Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM), organismo ligado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) favorece o fortalecimento de ações no combate à desertificação. “A REPAM busca fortalecer, incentivar e congregar inciativas que atuam na defesa e no cuidado de nossa Casa Comum, de modo particular, àquelas que agem no combate ao desmatamento e fortalecem os Povos da Floresta – povos indígenas, quilombolas, comunidades extrativistas, ribeirinhas e da agricultura familiar –, como é o exemplo do Fundo Dema, um fundo fiduciário que apoia projetos coletivos que visam a valorização socioambiental dessas populações e preservação do Bioma Amazônico”, explica coordenadora de comunicação da REPAM-Brasil, irmã Osnilda Lima. Acordos de cooperação Na busca de um desenvolvimento sustentável e integral, o Brasil junto com outros 192 países, é signatário da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos das Secas – UNCCD (sigla em Inglês). Esse compromisso estabelece padrões de trabalho e metas internacionais convergentes em ações coordenadas na busca de soluções qualitativas que atendam às demandas socioambientais nos espaços áridos, semiáridos e subúmidos secos, particularmente onde residem as populações mais pobres do planeta. O Fundo Dema é resultado da luta e da conquista das organizações, entre elas a Prelazia do Xingu e movimentos populares da Amazônia Brasileira, que se materializou por meio de um processo de parceria desses atores sociais, o Ministério Público Federal (MPF) e o Governo Brasileiro, e tem origem quando cerca de seis mil toras de mogno, madeira nobre da Amazônia, extraídas ilegalmente, foram apreendidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). “Por meio da pressão social e mediação do MPF, o IBAMA doou a madeira à sociedade civil como uma forma de reconhecer e fortalecer as comunidades das quais o produto havia sido extraído ilegalmente”, destacou irmã Osnilda. Panorama Brasil No Brasil são 1.480 municípios suscetíveis a esse processo que pode ser causado pelo homem ou pela própria natureza e agravados pelas questões climáticas e que atinge, particularmente, os estados do Nordeste, além de Minas Gerais e Espírito Santo. No Brasil as áreas susceptíveis à desertificação correspondem à aproximadamente 15% do território nacional (1.344.766 km²), abrangendo 1.491 municípios em nove Estados da região Nordeste, no norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo, segundo dados de 2016 divulgados pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), associação privada sem fins lucrativos, parceira do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. Estudos realizados pelo CGEE mostram que esta área possui uma população estimada pelo IBGE em 2016 de 37.180.844 habitantes. Com base em estudos da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos – Funceme, cerca de 5% destas ASD (70.279 km²) estão fortemente afetadas por desertificação. Os Estados mais comprometidos em termos absolutos são Bahia, Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. No último capítulo da encíclica “Laudato Si” o papa convida a todos a reformular hábitos e comportamentos. “Toda mudança tem necessidade de motivações e de um caminho educativo; estão envolvidos todos os ambientes educacionais, primeiro a escola, a família, os meios de comunicação e a catequese”, ressalta Francisco no documento. Fonte: CNBB

Os desafios e iniciativas sustentáveis da Igreja e da sociedade no combate à desertificação e a seca

A seca e a desertificação do solo têm sido combatidas com iniciativas que contribuem para o uso sustentável de terras ...

07-06-2017 Mundo Católico Atualmente, Monsenhor Francisco Cota estava trabalhando como Administrador Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora do Pilar, de Pitangui, e como Ecônomo Auxiliar Diocesano. Monsenhor Francisco Cota Natural de Onça do Pitangui - MG, Padre Chiquinho, como é carinhosamente conhecido, nasceu no dia 05 de agosto de 1969. Ele completou seus estudos em filosofia na Pontifícia Universidade Católica de Belo Horizonte (1992-1994) e na mesma cidade estudou teologia no Instituto Dom João Rezende Costa (1995-1998). Ordenado sacerdote no dia 01º de agosto de 1999, pela imposição das mãos de Dom José Belvino, Bispo Emérito de Divinópolis, Monsenhor Francisco já trabalhou por três paróquias da Diocese de Divinópolis. De 1999 a 2009 ele trabalhou na Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, em Carmo do Cajuru - MG. De 2010 a 2017 ele trabalhou na paróquia de Sant’Ana, em Itaúna - MG. E, desde o dia 29 de janeiro deste ano de 2017 ele está trabalhando na Paróquia de Nossa Senhora do Pilar, em Pitangui – MG. Ele também é Promotor de Justiça na causa pela Beatificação do Servo de Deus Padre Libério. Monsenhor Francisco também foi Assessor Diocesano de Pastoral da Juventude, Vigário Forâneo das Foranias do Divino Espírito Santo e de Sant’Ana e professor do Seminário Diocesano. Outras nomeações O Papa Francisco também nomeou o Padre Amilton Manoel da Silva, da Arquidiocese de São Paulo, para ser Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, e o Padre Juarez Delorto Seco, da Diocese de Cachoeiro do Itapemirim - ES, como Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro.  

Papa Francisco nomeia o Padre Francisco Cota como Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba

Papa Francisco nomeou como Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba o Padre Francisco Cota de Oliveira, do clero da di...

telefone

Lista Telefonica

Ache na Nossa Lista Online
telefones e endereços de paróquias, Padres, instituições, Comunidades e muito mais.

CLIQUE AQUI ACESSAR>>
0853070116

Acenda sua

Velinha Digital

Acender uma vela digital é uma forma de manter a sua fé acesa.

ACENDER VELINHA >>

Artigos

Dom Dino

Leia todos os artigos publicados!

LEIA AGORA >>